sábado, 24 de agosto de 2019

AMAERJ | 24 de fevereiro de 2019 14:50

‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares

Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Delicious Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Digg Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Facebook Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Google+ Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Link-a-Gogo Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on LinkedIn Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Pinterest Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on reddit Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on StumbleUpon Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Twitter Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Add to Bookmarks Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Email Share '‘Objetivo é repor os serventuários no primeiro grau’, diz Mello Tavares' on Print Friendly Whatsapp
Reprodução ConJur

O site Consultor Jurídico (ConJur) publicou neste domingo (24) entrevista com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares. Ele afirmou que o foco da administração é tornar a Justiça mais rápida. Para isso, Tavares destacou a necessidade de suprir a carência de servidores.

“Hoje nós temos uma carência em primeiro grau que, só no ano passado e retrasado, foi de 480 serventuários. A primeira instância é uma pedreira, e nós temos juízes que estão trabalhando com dois serventuários. O principal objetivo é repor os serventuários no primeiro grau que vierem a se aposentar, tendo em vista a reforma da Previdência que está sendo anunciada pelo Congresso Nacional.”

“Com isso, nós vamos agilizar a prestação jurisdicional. Esse é o foco principal da nossa administração: que a Justiça se torne mais rápida, inclusive cumprindo o mandamento constitucional da duração razoável do processo”, disse.

Leia também: Renata Gil participa do encontro de presidentes dos tribunais de Justiça
Em carta aberta, AMB alerta para aspectos perversos e desumanos da Reforma da Previdência
AMAERJ lança site da pesquisa sobre o perfil da magistratura

Presidente do TJ-RJ desde 4 de fevereiro, Claudio de Mello Tavares convocou 191 serventuários do último concurso (160 técnicos, dez oficiais de justiça, dez assistentes sociais, dez psicólogos e um comissário da Infância, da Juventude e do Idoso).

Outro objetivo de Tavares é investir na informática para que o processo seja mais ágil. Leia aqui a entrevista completa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!