quinta, 19 de setembro de 2019

AMAERJ | 23 de agosto de 2019 16:52

Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras

Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Delicious Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Digg Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Facebook Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Google+ Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Link-a-Gogo Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on LinkedIn Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Pinterest Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on reddit Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on StumbleUpon Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Twitter Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Add to Bookmarks Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Email Share 'Laudo aponta que Niemeyer não pode ser reaberta antes de fim de obras' on Print Friendly Whatsapp

*G1

Via está fechada desde 28 de maio | Foto: Estefan Radovicz/ Agência O Dia

Laudo de peritos judiciais afirma que a Avenida Niemeyer, interditada há quase três meses, não pode ser reaberta antes que as obras na via estejam concluídas. A decisão sobre a liberação da avenida será tomada na próxima semana. Na quinta-feira (22), um despacho do desembargador Mauro Pereira Martins (13ª Câmara Cível) deu prazo de 72 horas para que o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) e a Prefeitura do Rio se manifestem sobre o laudo feito após a vistoria realizada na segunda-feira (19).

Segundo o documento, obtido com exclusividade pelo jornal “O Globo”, a via ainda oferece riscos. O laudo destaca que ainda há casas não demolidas, em áreas de risco, que contribuem com despejo de esgoto e sobrecarregam a encosta. Ainda de acordo com o documento, as obras feitas pela prefeitura no Costão do Vidigal e em outros pontos vistoriados não são suficientes para garantir a liberação da via.

Outro trecho aponta que há risco de deslizamento de pedras da encosta. Os especialistas também argumentam que ainda não foi construída uma galeria para captar águas das chuvas em trechos críticos do Costão do Vidigal.

O MP-RJ afirma considerar razoável esperar até que a Prefeitura do Rio conclua as obras para que a via possa ser reaberta.

No início da tarde, o município informou que apresentará um novo laudo feito por uma empresa independente.

Leia também: Curso ‘Antropologia e Questões Sociais’ abre inscrições
Desembargador lança ‘Código Civil Comentado’ no TJ-RJ
Em homenagem, Fux exalta ‘sensibilidade, razão e paixão’ na magistratura

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!