quarta, 12 de dezembro de 2018

AMAERJ | 09 de outubro de 2018 20:06

Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais

Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Delicious Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Digg Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Facebook Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Google+ Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Link-a-Gogo Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on LinkedIn Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Pinterest Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on reddit Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on StumbleUpon Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Twitter Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Add to Bookmarks Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Email Share 'Diretoria da AMB traça diretrizes para juízes com filhos especiais' on Print FriendlyWhatsapp

Magistrados participaram da reunião da AMB | Fotos: AMB

Instituída em agosto deste ano pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros), a Diretoria de Política Institucional e de Apoio para Magistrados com Filhos Especiais promoveu, nesta terça-feira (9), sua primeira reunião. A juíza do TJ-RJ Adriana Laia participou do encontro na sede da Associação, em Brasília.

“Definimos que, em parceria com as associações estaduais, atuaremos de forma geral, em busca de normatizações junto ao CNJ, STF, Receita Federal e MEC. E de forma específica, levando em consideração casos concretos formalizados por colegas”, explica a diretora Elbia Araújo, presidente da AMAB (Associação dos Magistrados da Bahia).

Leia também: Presidentes de associações acompanham sessão do CNJ
Escola da Magistratura do Rio debate os 30 anos do SUS
AMAERJ e Justa Visão sorteiam dois cupons para o Dia das Crianças

Uma das metas da diretoria é criar uma rede de acolhimento a magistrados com filhos especiais, que enfrentam situações peculiares e necessidades específicas.

Também foram sugeridas ideias concretas, como um curso de capacitação (com a ajuda de uma equipe multidisciplinar) a magistrados que venham lidar com processos onde existam demandas com pessoas especiais. “A expectativa é de que os olhares se abram para o tema e que a sociedade rompa barreiras e fronteiras, levando a questão a ser tratada com a atenção que merece”, comentou Elbia Araújo.

Segundo o diretor-adjunto, Ezequiel Turibio, a reunião foi uma oportunidade para se discutir e fixar as formas como a AMB apoiará essa parcela da carreira.

“Inicialmente, há a necessidade de atuação junto ao CNJ para o estabelecimento de uma política nacional de apoio aos colegas em parceria com os tribunais locais. Haverá um grande avanço, porque os magistrados pais de crianças especiais terão melhores condições de trabalho, mais tranquilidade e conforto, tanto para o exercício de sua função quanto para cuidar dos filhos”, detalhou.

 

O encontro foi conduzido pelo presidente Jayme de Oliveira. Além de Adriana Laia, a pasta é composta pela diretora Elbia Araújo; o diretor-adjunto, Ezequiel Turibio (1ª Vara Criminal de Cariacica – ES); e a integrantes Israela Pontes (Associação dos Magistrados da Paraíba – AMPB). Todos são pais de crianças especiais.

Participaram da reunião, também, a vice-presidente de Direitos Humanos da AMB, Julianne Marques, e a presidente da Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), Jussara Schittler.

Fonte: AMB

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!