quarta, 24 de fevereiro de 2021

Brasil | 18 de dezembro de 2020 15:06

Na última sessão do ano, Luiz Fux exalta comprometimento de juízes

Ministro Luiz Fux, presidente do STF | Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, encerrou o Ano Judiciário 2020, nesta sexta-feira (18), elogiando o empenho e o trabalho dos magistrados brasileiros. “De norte a sul, tenho visto juízes e juízas comprometidos com seus deveres constitucionais, apresentando produtividade exemplar e construindo novos caminhos para concretizar o acesso à Justiça”, afirmou.

O ministro classificou 2020 como “o momento mais trágico para a humanidade desde a Segunda Guerra Mundial”, que custou a vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Apesar do momento desafiador e da adversidade profunda causada pela pandemia do coronavírus, Fux ressaltou que seu olhar sobre o Poder Judiciário é esperançoso.

O presidente do STF destacou que, diante do distanciamento social imposto pela pandemia, o Judiciário se reinventou, ampliou suas ferramentas para promover os julgamentos por meio virtual, garantiu o direito ao contraditório e à ampla defesa e deliberou sobre milhões de processos neste ano.

Leia também: Suspensão de prazos e audiências no TJ é a notícia mais lida do ano
Magistrados poderão consultar matrículas de imóveis em sistema
Convênio com editora garante 30% de desconto em 5 mil livros

Fux disse que talvez só tenhamos a real dimensão “da catástrofe que ora vivenciamos” daqui a alguns anos ou décadas, mas que apesar das graves consequências políticas, sociais e econômicas, é preciso seguir adiante.

Ao encerrar o Ano Judiciário e desejar um 2021 “próspero e solidário”, o presidente afirmou que o Poder Judiciário permanecerá vigilante, cumprindo seu dever de defesa dos direitos fundamentais, das liberdades civis e das regras do processo democrático. “Trata-se de função inafastável e ininterrupta, a qualquer tempo e sob quaisquer circunstâncias.”