sábado, 14 de dezembro de 2019

AMAERJ | 08 de setembro de 2017 14:56

Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja

Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Delicious Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Digg Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Facebook Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Google+ Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Link-a-Gogo Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on LinkedIn Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Pinterest Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on reddit Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on StumbleUpon Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Twitter Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Add to Bookmarks Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Email Share 'Nota da AMAERJ sobre delação premiada de ex-dirigente esportivo na revista Veja' on Print Friendly Whatsapp

A AMAERJ repudia as declarações do ex-presidente da Federação de Esportes de Gelo, Eric Walther Maleson, reproduzidas pela revista Veja, que se referem a “magistrados corrompidos” do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, de forma genérica e sem provas.

Na delação premiada em investigação referente aos Jogos Olímpicos de 2016, o dirigente afirma, sem exibir qualquer evidência, que houve tráfico de influência na decisão judicial que o afastou da entidade, em 2012. Acusações com tal gravidade precisam identificar os supostos autores, para que tenham direito a defesa, e devem ser acompanhadas de provas robustas, sob pena de colocarem sob suspeita toda a magistratura fluminense.

Pelo oitavo ano consecutivo, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro foi considerado o mais produtivo do país pelo Conselho Nacional de Justiça. Os juízes fluminenses são honrados e competentes e não admitem acusações levianas.

(* Após contato da assessoria de comunicação com Veja, a revista incluiu na matéria parte da nota da AMAERJ. Veja imagem abaixo)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!