quarta, 17 de julho de 2019

AMAERJ | 03 de setembro de 2018 19:05

Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter

Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Delicious Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Digg Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Facebook Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Google+ Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Link-a-Gogo Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on LinkedIn Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Pinterest Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on reddit Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on StumbleUpon Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Twitter Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Add to Bookmarks Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Email Share 'Garotinho é condenado por crime de injúria contra Luiz Zveiter' on Print Friendly Whatsapp

O ex-governador Anthony Garotinho foi condenado por crime de injúria na sexta-feira (31), em ação movida pelo desembargador Luiz Zveiter, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro). A juíza Marta de Oliveira Cianni Marins (23ª Vara Criminal da Capital) determina que Garotinho preste serviços comunitários por um mês e dez dias. A informação foi divulgada na coluna do jornalista Ancelmo Gois, em “O Globo”, nesta segunda-feira (3).

Em texto de setembro de 2017 em seu blog, o candidato ao governo do Rio de Janeiro afirmara que o desembargador teria enviado um intermediário para ameaçá-lo e coagi-lo, a fim de impedir denúncia de suposto recebimento de propina.

“Como se observa, o conjunto probatório é seguro e aponta a autoria e a materialidade do delito, bem como o dolo com que o réu agiu, razão pela qual a condenação deve prevalecer, inexistindo circunstâncias excludentes. A conduta do crime de injúria foi praticada em face de um desembargador e ex-presidente do Tribunal de Justiça deste Estado, por meio que facilitou a divulgação da injúria”, escreveu a magistrada, na decisão.

Leia também: Nota oficial da AMAERJ sobre prisão temporária de suspeitos de latrocínio
No STF, Toffoli vai pautar julgamento de prisão após 2ª instância a partir de março
Procuradora-geral da República lamenta incêndio no Museu Nacional

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!