quarta, 20 de março de 2019

AMAERJ | 22 de fevereiro de 2019 20:10

Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB

Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Delicious Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Digg Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Facebook Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Google+ Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Link-a-Gogo Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on LinkedIn Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Pinterest Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on reddit Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on StumbleUpon Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Twitter Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Add to Bookmarks Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Email Share 'Reforma da Previdência tem aspectos ‘perversos’, acusa a AMB' on Print Friendly Whatsapp

A AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) divulgou carta aberta, na sexta-feira (22), sobre o texto da Reforma da Previdência apresentado pelo governo federal. A Associação destacou pontos da proposta que precisam ser corrigidos, como a questão das “alíquotas confiscatórias”. De acordo com a AMB, não se pode admitir que o projeto demonize os servidores públicos. A entidade ressaltou que trabalhará para evitar os aspectos “perversos, desumanos e inconstitucionais” do projeto.

“As alíquotas fixadas, conforme a faixa de renda, revelam-se, ainda, confiscatórias, podendo chegar a 22%, o que implica em alíquotas efetivas de mais de 16% e, somadas ao Imposto de Renda, ultrapassará 40%. Tal modificação, se aprovada, dificilmente sobreviverá ao crivo do Judiciário”, afirmou a entidade.

Leia também: Trâmite da PEC em Brasília terá acompanhamento direto da presidente da AMAERJ

“O que não se pode admitir, porém, é que uma projeto de emenda à Constituição, a pretexto de atenuar efeitos da crise fiscal que tem múltiplas causas, demonize os servidores públicos e segurados do Regime Geral de Previdência Social – RGPS, atribua a todos os que receberão benefícios para os quais contribuíram a pecha de privilegiados e ignore princípios elementares de direito tributário e da ordem social.”

A AMB ressaltou que “trabalhará para construir, ao lado das entidades representativas de servidores públicos de todos os entes da Federação e dos demais trabalhadores urbanos e rurais, idosos e pessoas com deficiência, um sistema previdenciário equilibrado, humano, que preserve a dignidade de cada brasileiro”.

A Associação destacou que levará ao Congresso Nacional, “de forma democrática e serena, propostas para aperfeiçoar o projeto, de maneira a evitar que os seus aspectos perversos, desumanos e inconstitucionais sejam concretizados, com graves danos para as gerações atuais e futuras”.

Leia aqui a íntegra da carta aberta da AMB.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!