segunda, 24 de setembro de 2018

AMAERJ | 16 de maio de 2018 12:01

Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ

Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Delicious Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Digg Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Facebook Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Google+ Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Link-a-Gogo Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on LinkedIn Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Pinterest Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on reddit Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on StumbleUpon Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Twitter Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Add to Bookmarks Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Email Share 'Ativismo judicial é destaque da 4ª edição da Revista da EMERJ' on Print Friendly Whatsapp

Já está disponível a versão eletrônica da Revista Magistratus, publicação institucional da EMERJ (Escola da Magistratura do Rio). Na reportagem de capa da 4ª edição, o ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Ricardo Cueva analisa os limites do ativismo judicial e alerta sobre um possível protagonismo exacerbado do Judiciário.

Também opinam sobre o tema as ministras Cármen Lúcia (presidente do Supremo Tribunal Federal) e Laurita Vaz (presidente do Superior Tribunal de Justiça).

Leia também: CNJ encerra sexta-feira pesquisa sobre perfil dos magistrados
Mais de 300 mil presos já estão incluídos no cadastro nacional
AMAERJ sorteará inscrições no 2º Congresso de Processo Civil

Como entrevistado, o destaque desta edição é o ministro do STJ Luis Felipe Salomão, que pondera acerca do ativismo e do papel do Judiciário, fala sobre “judicialização da vida”, sobre o Código de Processo Civil, o juiz do novo milênio e a importância das escolas de magistratura.

Com relação à mediação, a Revista Magistratus conta com a participação do ministro do STJ João Otávio de Noronha, que avalia ser a prática uma questão de mudança comportamental.

Sobre as eleições de 2018, o juiz Mauro Nicolau Junior (coordenador da Fiscalização da Propaganda Eleitoral no Estado do Rio de Janeiro) assina o artigo “Democracia brasileira, a Justiça Eleitoral e a esperança no porvir”.

A revista traz ainda reportagens sobre a nova Biblioteca do TJ-RJ e da EMERJ, que homenageia o processualista José Carlos Barbosa Moreira; os direitos humanos dos indígenas e a questão das mães detentas.

Clique aqui para acessar a versão digital da Revista Magistratus.

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional da EMERJ

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!