sexta, 23 de agosto de 2019

AMAERJ | 25 de outubro de 2018 16:45

Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade

Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Delicious Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Digg Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Facebook Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Google+ Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Link-a-Gogo Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on LinkedIn Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Pinterest Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on reddit Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on StumbleUpon Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Twitter Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Add to Bookmarks Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Email Share 'Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade' on Print Friendly Whatsapp

A construção social do juiz e o impacto na natureza das decisões. O viés humano da magistratura é o centro do livro “Magistratura do Novo Milênio: Autoridade com Alteridade”, lançado nesta quarta-feira (24) no Foyer do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O autor é o desembargador Caetano Fonseca Costa, presidente da 7ª Câmara Cível do TJ-RJ. A 1ª secretária da AMAERJ, Marcia Succi, representou a Associação na noite de autógrafos.

A obra, publicada pela editora Lumen Juris, mostra a trajetória dos personagens Eduardo e Mônica, com origens sociais distintas. Com a história, o desembargador quer apresentar uma “ideia de transformação, de consciência e reflexão sobre o juiz que precisamos. Um juiz que dê importância a questões como raça e gênero no exercício da função judicante, para que tenha consciência de sua responsabilidade social”.

Para Marcia Succi, a obra é relevante por destacar a questão da identidade do juiz. “O livro perpassa pelos conceitos de ética e justiça ao mostrar como as origens e a história de vida do magistrado impactam no seu dever na magistratura”. Saiba mais detalhes do livro “Magistratura do Novo Milênio” aqui.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!