quarta, 11 de dezembro de 2019

AMAERJ | 28 de fevereiro de 2012 17:50

Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade

Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Delicious Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Digg Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Facebook Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Google+ Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Link-a-Gogo Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on LinkedIn Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Pinterest Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on reddit Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on StumbleUpon Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Twitter Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Add to Bookmarks Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Email Share 'Presidente da Amaerj fala à TV Band sobre falta de investigação policial de qualidade' on Print Friendly Whatsapp

Em entrevista ao Jornal do Rio, da TV Band (24/02/2012), o presidente da Amaerj Cláudio dell´Orto relaciona o alto número de processos criminais arquivados – 48% deles foram devolvidos à polícia pelo MP, em 2011, para mais investigação – à inexistência de uma polícia técnico-científica mais qualificada. De acordo com a reportagem, em 2011 80% dos dos processos foram arquivados no Brasil com o Mutirão da Justiça. O estado do Rio foi o que mais arquivou. No total, 143 mil inquéritos policiais estavam parados no Ministério Público. Em 96% dos casos nem os culpados foram identificados. A falta de investigação de qualidade estaria contribuindo para a impunidade no país.

Fonte: Natashi Franco/TV Band

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!