domingo, 07 de março de 2021

AMAERJ | 22 de junho de 2020 11:36

Vencer o Patrícia Acioli ‘fomentou novas ideias’, diz juiz de Goiás

Três anos depois de receber o Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos, o impacto de ser laureado ainda reverbera no Programa Rede Mulher em Paz, coordenado por Rodrigo de Castro Ferreira. O juiz do TJ-GO (Tribunal de Justiça de Goiás), que ficou em primeiro lugar na categoria Trabalhos dos Magistrados da sexta edição, estrela o segundo vídeo da série com vencedores da premiação.

Para o titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, vencer com o Programa Rede Mulher em Paz “fomentou novas ideias por parte da Coordenadoria da Mulher do Estado de Goiás” e divulgou a política de combate à violência de gênero.

O projeto visa prevenir, reprimir e erradicar a violência doméstica e familiar contra a mulher. O objetivo é preservar a integridade física, psíquica, sexual, moral e patrimonial da vítima e conscientizar o ofensor, para transformar a realidade social.

Juiz Rodrigo de Castro Ferreira (TJ-GO) recebe prêmio em 2017 | Foto: Marcelo Regua

Leia também: Juiz do Paraná inicia série de vídeos sobre o AMAERJ Patrícia Acioli
Destaque no combate à pandemia será Hors Concours no Prêmio
Tribunais e associações divulgam Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli

Inscrições abertas

As inscrições irão até 10 de agosto pelo site do Prêmio. Júri integrado por especialistas de destaque nas quatro áreas selecionará os trabalhos premiados.

Haverá cinco finalistas por categoria. O primeiro lugar de cada uma delas ganhará R$ 15 mil; o segundo, R$ 10 mil; o terceiro, R$ 5 mil. Os três primeiros colocados receberão troféus. Os demais finalistas serão homenageados com Menções Honrosas. Na categoria Trabalhos dos Magistrados, os três primeiros colocados receberão troféus.

Haverá ainda a concessão do Prêmio Hors Concours a personalidade com notável atuação na área dos Direitos Humanos e Cidadania, escolhida pelos magistrados fluminenses.

A cerimônia de premiação acontecerá em 9 de novembro.

Consulte aqui o regulamento do AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos.

AMAERJ Patrícia Acioli

Criado em 2012, o AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos já laureou 77 defensores da dignidade humana. O Prêmio celebra a memória da juíza Patrícia Acioli. Titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, ela foi morta em 2011, em Niterói, por policiais militares.

O Prêmio tem o objetivo de identificar, disseminar, estimular e homenagear a realização de ações em prol dos direitos humanos, dando visibilidade a práticas e trabalhos na área. A cerimônia de premiação deste ano acontecerá em 9 de novembro.

O AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos tem patrocínio da Multiplan, Associação dos Notários e Registradores do Brasil-RJ (Anoreg-RJ) e do Grupo Coruja. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), a Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ) e a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro apoiam a premiação.