sábado, 07 de dezembro de 2019

AMAERJ | 09 de fevereiro de 2011 13:44

Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira

Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Delicious Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Digg Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Facebook Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Google+ Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Link-a-Gogo Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on LinkedIn Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Pinterest Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on reddit Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on StumbleUpon Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Twitter Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Add to Bookmarks Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Email Share 'Sabatina de Fux no Senado será nesta quarta-feira' on Print Friendly Whatsapp

Está prevista para hoje (9), às 14h, a sabatina do ministro Luiz Fux, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal. O nome do ministro foi indicado na semana passada pela presidente da República, Dilma Rousseff, para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Uma vez aprovada na CCJ, em votação secreta, a indicação do ministro Fux passará ainda por votação no Plenário da Casa Legislativa. Logo após, seu nome segue para nomeação.

O ministro Fux tem 57 anos, é doutor em Direito Processual Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), instituição em que trabalha como professor. Tem 21 livros publicados e, em 2010, destacou-se ao presidir a comissão de juristas instituída pelo presidente do Senado, José Sarney, para analisar a reforma do Código de Processo Civil (CPC). O projeto do novo CPC (PLS n. 166/10) foi aprovado pelo Senado no dia 15 de dezembro e encaminhado à Câmara dos Deputados.

Fonte: Superior Tribunal de Justiça

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!