terça, 24 de novembro de 2020

Destaques da Home | 16 de novembro de 2020 15:11

Para presidente do TRE, as eleições municipais foram ‘um sucesso’

Presidente do TRE-RJ, desembargador Cláudio Brandão | Foto: Reprodução/ TV Globo

Este domingo, dia 15, foi marcado pelas Eleições Municipais 2020, definidas como “um sucesso” pelo presidente do TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro), desembargador Cláudio Brandão de Oliveira. Em entrevista após o fechamento das urnas, o magistrado do Tribunal de Justiça do Rio destacou os fatos mais relevantes do pleito no Estado.

“As eleições transcorreram de uma forma absolutamente tranquila e, para a situação que nós tínhamos algum tempo atrás, é possível hoje afirmar que foi um sucesso a eleição aqui no Estado do Rio de Janeiro”, disse.

O alto número de abstenções foi uma das marcas da eleição: na capital, 32,8% dos eleitores não compareceram, percentual acima dos 23% da média nacional.

“A ausência de eleitores está acima do percentual, era esperado no ambiente de pandemia. Mas eu acho que o mais importante foi ter feito a eleição”, disse o desembargador.

No balanço divulgado pela Corte, 22 pessoas foram presas, entre elas sete candidatos. Houve a substituição de 563 urnas (1,7%), quantidade maior que a registrada na eleição de 2016.

Áreas de milícias

Também magistrado do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), o vice-presidente do TRE e corregedor eleitoral do Estado do Rio, desembargador Cláudio Dell’Orto, comentou a atuação da milícia nas eleições.

Vice-presidente do TRE-RJ, desembargador Cláudio Dell’Orto | Foto: Reprodução

“É óbvio que o reflexo eleitoral disso é muito relevante. Para isso, o Ministério Público tem ajuizado ações de impugnação de mandato eletivo, processos de cassação, de verificação de origem de fundos utilizados indevidamente em campanhas eleitorais”, informou.

Brandão disse que a votação nas áreas dominadas pela milícia foi bem organizada. “Todo o planejamento que foi feito foi cumprido. Não há nenhum registro de violência maior.”

O vice-presidente do TRE-RJ explicou que o mesário faltoso deverá se apresentar diante de um juiz eleitoral para justificar a ausência.

Leia também: Magistrado que recebeu auxílio-educação deve comprovar despesas
Em 2020, EMERJ bate recordes de cursos e de magistrados inscritos
Livro sobre mediação terá preço reduzido na Amazon entre dias 27 e 29

Atraso nos resultados

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, informou que a falha em um supercomputador da Corte provocou a lentidão na contagem dos votos.

“Houve um atraso na totalização dos resultados por força de um problema técnico que foi exatamente o seguinte: um dos núcleos de processadores do supercomputador que processa a totalização falhou e foi preciso repará-lo”, disse o ministro durante entrevista coletiva no TSE.

O ministro explicou que a urna eletrônica imprime o boletim ao final do dia, o que atesta que a votação ocorreu.

“A ideia de que a demora possa trazer algum tipo de consequência para o resultado não faz nenhum sentido. Porque o resultado já saiu quando a urna imprimiu o boletim”, afirmou.

Segundo Barroso, o problema, de hardware, se originou exclusivamente no TSE, sem responsabilidade dos tribunais regionais eleitorais.

Confira aqui os resultados das Eleições Municipais 2020.

*Com informações de O Globo, O Dia e G1