quinta, 14 de novembro de 2019

AMAERJ | 25 de outubro de 2019 17:46

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Delicious Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Digg Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Facebook Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Google+ Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Link-a-Gogo Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on LinkedIn Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Pinterest Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on reddit Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on StumbleUpon Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Twitter Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Add to Bookmarks Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Email Share 'NOTA DE ESCLARECIMENTO' on Print Friendly Whatsapp
Fórum de Iguaba Grande

A juíza Maira Valéria Veiga de Oliveira, diretora do Fórum de Iguaba Grande (Região dos Lagos), esclarece que, em razão do uso recorrente de vestimentas impróprias no local, regulamentou orientações para o respeito ao decoro nas dependências do Poder Judiciário da região.

Segunda a magistrada, a presença de pessoas com roupas incompatíveis com o ambiente jurídico, até mesmo em trajes de banho, constrange operadores do Direito e jurisdicionados.

A juíza ressalta que, em nenhum momento, houve a medição com régua de saia ou vestido nas dependências do Fórum de Iguaba Grande.

A magistrada esclarece que os advogados e as advogadas nunca foram impedidos de entrar no fórum. O propósito da norma não é impedir a entrada de qualquer cidadão, mas assegurar a razoabilidade no ambiente forense. O direito de acesso à Justiça é uma garantia constitucional.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Beth 2019-10-26 16:40:25

Isso é lei em qualquer fórum do Brasil, porque iguaba teria que ser diferente? Fórum é uma casa de leis, tem cidade que nem com blusas de alças se entra num fórum, certissima meretissima juíza

O comentário não representa a opinião da AMAERJ; a responsabilidade é do autor da mensagem.
ADEMIL DE SOUZA PINTO 2019-10-27 09:39:42

Concordo "ipsis litteris" com a magistrada.

O comentário não representa a opinião da AMAERJ; a responsabilidade é do autor da mensagem.