segunda, 21 de setembro de 2020

AMAERJ | 24 de julho de 2020 15:01

Magistrados e prefeitura lançam ‘Sinal Vermelho’ em Niterói

Felipe Gonçalves fala durante o lançamento, observado por Karina de Paula e Renata Gil | Foto: Matheus Salomão

A cidade de Niterói (Região Metropolitana do Rio de Janeiro) é a primeira do país a lançar oficialmente a campanha “Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica”, iniciativa da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) e do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Os presidentes Felipe Gonçalves (AMAERJ) e Renata Gil (AMB) e o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, participaram do lançamento, nesta sexta-feira (24).

“A campanha ‘Sinal Vermelho’ já é um marco para a sociedade civil brasileira no combate à violência doméstica. Uma ideia tão simples e, ao mesmo tempo, tão genial. Agora, as mães, filhas, netas, avós, amigas e companheiras podem ir à farmácia denunciar a prática de um crime”, afirmou Felipe Gonçalves.

“Nós, da AMAERJ, estamos fazendo a nossa parte. Produzimos um vídeo em que seis juízes do sexo masculino apontam o dedo para o agressor e falam: ‘Olha o que você está fazendo, isso é crime, uma covardia’. Precisamos incorporar os homens nessa batalha. A AMAERJ também apresentou requerimento à presidência do Tribunal de Justiça do Rio para criar o programa de reeducação ‘Tempo de Aprender’. É tempo de os agressores aprenderem a mudar esse comportamento”, ressaltou o presidente da AMAERJ.

Renata Gil, Giovanna Victer e Felipe Gonçalves | Foto Matheus Salomão

O isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus provocou o aumento de casos de violência doméstica e, também, de subnotificação em todo o país. A campanha conta com a participação de mais de 10 mil farmácias. Ao desenhar um “X” na palma da mão e exibi-lo ao farmacêutico ou ao atendente do estabelecimento, a vítima receberá auxílio para acionar as autoridades.

“A campanha foi idealizada em razão do meu inconformismo com os números da violência doméstica. O Brasil ocupa o quinto lugar no ranking de país mais violento do mundo contra as mulheres. Durante a pandemia, elas ficaram enclausuradas com seus agressores. As mulheres estavam morrendo por não conseguir denunciar. O nome é ‘Sinal Vermelho’ porque significa pare, chega, é o limite”, disse Renata Gil.

Presidente da AMB, Renata Gil

“Três pontos são fundamentais na campanha: proteção da vida, liberdade e fortalecimento da rede de proteção. Só com políticas públicas, metas, ações e resultados vamos salvar vidas e tirar o Brasil desse patamar vergonhoso que ocupa no cenário internacional”, destacou a presidente da AMB.

O lançamento da campanha aconteceu no Solar do Jambeiro, em Niterói. Com sintomas do coronavírus, o prefeito participou por videoconferência. Para ele, é inaceitável que, em pleno século 21, haja situações absurdas de violência contra a mulher.

“A campanha da AMB vai mobilizar melhores energias de homens e mulheres de boa vontade para a batalha pela vida, pela dignidade humana, em respeito e proteção às mulheres brasileiras”, disse Neves.

Também estiveram no evento a secretária de Fazenda de Niterói, Giovanna Victer; a controladora-geral do município, Cristiane Mara; a coordenadora de Políticas e Direitos das Mulheres, Karina de Paula; e a advogada Helga Mansur, da Comissão OAB Mulher de Niterói.

Prefeito Rodrigo Neves participou por videoconferência | Reprodução/Prefeitura de Niterói
Foto: Matheus Salomão

Leia também: Associação sugere projeto para reeducar agressor de mulheres
AMAERJ reúne magistrados homens em filmagem contra o feminicídio
TJ-RJ retoma prazos e atendimento ao público na segunda-feira (27)