terça, 19 de novembro de 2019

AMAERJ | 07 de junho de 2018 17:44

Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC

Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Delicious Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Digg Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Facebook Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Google+ Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Link-a-Gogo Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on LinkedIn Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Pinterest Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on reddit Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on StumbleUpon Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Twitter Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Add to Bookmarks Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Email Share 'Luciano Rinaldi fala na GloboNews sobre ação baseada no Novo CPC' on Print Friendly Whatsapp

FOTO: Reprodução GloboNews

O desembargador do TJ-RJ Luciano Rinaldi participou do telejornal Edição das 16h, do canal de TV a cabo GloboNews. Ele comentou a decisão da 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que autorizou o recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de um homem inadimplente em relação às mensalidades escolares, com base no Novo CPC.

Leia também: ‘Fiscalização da propaganda eleitoral está preparada para atuar de forma eficiente’, diz Daniel Vargas
João Otávio de Noronha é eleito presidente do STJ
AMAERJ participa de workshop ‘Orçamento e Finanças Públicas’ da AMB

O ministro Luis Felipe Salomão foi o relator do caso e argumentou que já há jurisprudência no STJ para suspender a CNH e recolher outros documentos de inadimplentes. A decisão foi baseada no Novo Código do Processo Civil que prevê que o juiz pode lançar mão de todas as medidas necessárias para cumprimento de ordem judicial, inclusive em pagamento de dívidas. 

“Esta é uma das primeiras decisões que trata do artigo 139, inciso 4, que é uma das grandes inovação do Novo CPC e diz que o juiz pode determinar todas as medidas necessárias ao cumprimento das ordens judiciais. Chega até a causar perplexidade que as pessoas não cumpram espontaneamente uma ordem judicial. Desde muito tempo os processos se eternizam porque as pessoas apostam no litígio, nos recursos e não cumpre. Temos medidas típicas, mas só isso não está funcionando e o novo Código alarga as possibilidades de ações”, detalhou Rinaldi.

Ele lembrou que a decisão do STJ trata de um caso concreto e serve de precedência para outros casos nos demais tribunais do país. Confira a íntegra da entrevista.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!