sábado, 16 de outubro de 2021

AMAERJ | 04 de outubro de 2021 17:47

Indicado ao CNJ, desembargador Mauro Martins se reúne com senadores

Julianne Marques, Felipe Gonçalves, senador Marcos do Val (Podemos-ES), Renata Gil, Mauro Martins e Fernando Cury

O desembargador Mauro Pereira Martins, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), se reuniu com parlamentares na última semana, em Brasília. Indicado para compor o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o magistrado será sabatinado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado.

A AMAERJ e a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) apoiam Mauro Martins, magistrado do TJ-RJ há 28 anos. Os presidentes Felipe Gonçalves, da AMAERJ, e Renata Gil, da AMB, acompanharam o desembargador nas visitas na capital federal.

Também estiveram nos encontros as juízas Flávia Melo Balieiro, diretora-adjunta da AMAERJ, e Julianne Marques, secretária-geral da AMB, e o juiz Fernando Cury, secretário-geral adjunto da associação nacional.

Mauro Martins foi escolhido pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) em 19 de agosto. Ele recebeu sete votos para a vaga destinada a desembargador de Tribunal de Justiça.

A data da sabatina ainda não foi marcada. Caso seja aprovado pelo Senado, Mauro Martins atuará como conselheiro do CNJ até 2023.

Felipe Gonçalves, Mauro Martins, senador Carlos Portinho (PL-RJ), Renata Gil, deputada Celine Leão (PP-DF) e Julianne Marques

Carioca, Mauro Martins tem 53 anos. Formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) em 1990, é mestre em Direito pela Universidade Estácio (2005). Ele foi defensor público do Rio de 1991 a 1993, quando ingressou na Magistratura.

Como juiz, atuou em juizado especial, varas cíveis, criminais e empresarial nas Comarcas da Capital, de Petrópolis, Casimiro de Abreu, Silva Jardim e Magé. Foi auxiliar da 3ª vice-presidência do TJ de 2006 a 2008 e de 2010 a 2011.

Promovido a desembargador em 2012, Martins integra a 19ª Câmara Cível e o Conselho da Magistratura. Ele coordenou a Comissão Estadual dos Juizados Especiais (Cojes), no biênio 2019/2020, e a Comissão de Articulação dos Juizados Especiais Cível e Criminal dos Grandes Eventos (Cejesp), de 2015 a 2019.

Mauro Martins, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), Renata Gil e Flávia Melo Balieiro

Leia também: Comissão Julgadora escolhe os finalistas de Trabalhos Acadêmicos
Conheça os projetos que concorrem na categoria Práticas Humanísticas
Três trabalhos de magistrados disputam o Prêmio Patrícia Acioli