sexta, 14 de agosto de 2020

Inscrições prorrogadas até 17/8

Destaques da Home 2 | 30 de junho de 2020 16:16

Dom Orani envia condolências pela morte de Maria Stella Villela

Cardeal Orani Tempesta, arcebispo do Rio | Reprodução/WebTV Redentor

O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, enviou à AMAERJ, nesta terça-feira (30), mensagem de condolências pelo falecimento da desembargadora Maria Stella Villela (1932-2020), na última sexta-feira (26). “Através de sua longa e frutuosa carreira, ela deixa um importante legado de pioneirismo e competência da atuação feminina na magistratura e no magistério”, escreveu o cardeal.

Ex-vice-presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Maria Stella Villela morreu aos 88 anos. “Elevo a Deus minhas preces para que lhe conceda o descanso eterno e a consolação e a paz a todos que agora a recordam com saudade”, concluiu dom Orani.

Leia a íntegra da mensagem:

Leia também: AMAERJ lamenta a morte da desembargadora Maria Stella Villela
Ministros do STJ homenageiam o desembargador Sylvio Capanema

Nascida em 13 de janeiro de 1932, Maria Stella Villela formou-se em Direito na antiga Universidade do Brasil, atual UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Por cinco anos atuou como advogada antes de ingressar na magistratura, em 1º de setembro de 1960 – quando o Rio de Janeiro ainda era a capital federal e havia poucas mulheres no Poder Judiciário. Tomou posse como juíza substituta do Estado da Guanabara. Em dezembro de 1964, foi promovida a juíza de Direito efetiva.

Em abril de 1974, foi removida para o Tribunal de Alçada e, em 1981, eleita vice-presidente da Corte. Dois anos mais tarde, foi a primeira juíza de carreira a ser promovida por merecimento ao cargo de desembargadora do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), Corte criada em março de 1975.

Nos anos de 1989 e 1990, foi eleita 3ª e 2ª vice-presidente do Tribunal. Em 1995, 1ª vice-presidente. Maria Stella aposentou-se da magistratura fluminense, onde atuou em varas cíveis, criminais e de Órfãos e Sucessões, em agosto de 1999.

A magistrada também foi professora fundadora da antiga Universidade Estácio de Sá – hoje Estácio -, onde era titular da cadeira de Direito Penal. Também lecionou na Universidade Gama Filho. Foi autora de diversos livros, entre eles a clássica “Série ABC”, na qual destrinchava os fundamentos de matérias do Direito.