sábado, 16 de outubro de 2021

Notícias | 21 de abril de 2021 15:00

Corregedoria reúne iniciativas de serventias em banco de boas práticas

A partir da premissa de que ideia boa deve ser compartilhada, a Corregedoria Geral da Justiça do Rio de Janeiro lançou o Banco de Boas Práticas. A ferramenta de consulta agrega iniciativas exitosas utilizadas por unidades judiciárias da primeira instância do Tribunal de Justiça fluminense, que facilitam e aperfeiçoam a rotina cartorária.

O projeto, idealizado pela Diretoria Geral de Planejamento e Administração de Pessoal da CGJ, visa proporcionar a troca contínua de experiências e conhecimento sobre excelência em gestão entre as serventias, bem como entre os demais tribunais.

O Banco de Boas Práticas será atualizado de forma frequente e já conta com 15 iniciativas catalogadas. Clique aqui para acessar. A ferramenta traz dicas como rotinas facilitadoras de trabalho; análise de habilidades de servidores; capacitação de gestores; rotina de trabalho específica para processos de baixa complexidade; uso de relatórios gerenciais; virtualização imediata dos autos físicos; entre outros.

Leia também: Associação do MP do Rio se une à campanha da AMAERJ e entidades parceiras
Novo projeto social da EMERJ arrecada alimentos para crianças
Obra de autor espanhol norteia dois seminários da EMERJ em maio

Segundo a Corregedoria, para integrar o banco as práticas precisam gerar resultados e alto impacto. As atividades devem ser replicáveis, consistentes, adaptáveis e com a facilidade de utilizar novos recursos e metodologias, melhorando o processo de trabalho e o alcance do valor público.

As iniciativas podem ser derivadas do conhecimento, habilidades e ação dos servidores e devem ser reconhecidas pela organização sob o prisma da eficiência, celeridade, qualidade, inovação e praticidade. Para comunicar ações, ideias e projetos à CGJ, as unidades judiciais podem enviar e-mail para dipla.sepal@tjrj.jus.br ou ligar para (21) 3133-1921.

(Com informações da CGJ)