segunda, 09 de dezembro de 2019

AMAERJ | 11 de março de 2019 13:02

À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência

Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Delicious Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Digg Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Facebook Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Google+ Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Link-a-Gogo Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on LinkedIn Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Pinterest Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on reddit Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on StumbleUpon Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Twitter Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Add to Bookmarks Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Email Share 'À Tupi, Renata Gil alerta sobre apoio precário à mulher vítima de violência' on Print Friendly Whatsapp
Radialista Isabele Benito e juíza Renata Gil, em entrevista em agosto de 2018

A presidente da AMAERJ, Renata Gil, foi entrevistada no Programa Isabele Benito, da Rádio Tupi, na manhã desta segunda-feira (11). O tema da conversa foi a violência contra a mulher, em função do início da 13ª Semana Justiça pela Paz em Casa. Ela disse que “apenas 10% das mulheres levam registros às autoridades competentes por receio e pela sensação de impunidade. Precisamos melhorar o aparato de apoio a essa mulher”.

Ouça aqui a entrevista ao Programa Isabele Benito. A presidente relembrou o caso da paisagista Elaine Caparróz, espancada por 4 horas e que não conseguiu fazer exame no IML (Instituto Médico Legal).

“Em matérias recentes, falei da precariedade das Deams, especialmente no Rio de Janeiro. Estão sucateadas, com poucos profissionais das equipes interdisciplinares. Um dos casos recentes foi o da Elaine Caparroz, que não pôde ser atendida no IML. Teve que haver todo um esforço do Estado porque a parte de atendimento à mulher não estava funcionando. Então, precisamos todos, em esforço conjunto, melhorar as condições de atendimento à mulher vítima de violência”, alertou ela.

Leia também: Feminicídio virou ‘epidemia’, alerta Renata Gil em artigo no Estadão
Juiz Abrahão cita Renata Gil em decreto de prisão de espancador
Renata Gil destaca a liderança feminina na Justiça à Rádio Tupi

A Semana Justiça pela Paz em Casa é uma campanha promovida desde 2015 pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), em parceria com os Tribunais de Justiça dos Estados. O plano é realizar um mutirão para ampliar a efetividade da Lei Maria da Penha e acelerar os processos de violência contra a mulher. Nesta 13ª edição, a primeira de 2019, o trabalho será acontecerá desta segunda-feira (11) até o dia 15 (próxima sexta-feira).

“Há um esforço de todos os atores envolvidos nesse processo (…) para que essa mulher seja imediatamente ouvida e que as medidas protetivas sejam efetivadas num tempo muito curto”, afirmou Renata Gil. Clique aqui para ouvir a entrevista da presidente da AMAERJ à Rádio Tupi.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!