domingo, 20 de outubro de 2019

AMAERJ | 13 de julho de 2012 13:44

TRE ameaça prender quem votar com celular

Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Delicious Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Digg Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Facebook Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Google+ Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Link-a-Gogo Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on LinkedIn Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Pinterest Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on reddit Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on StumbleUpon Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Twitter Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Add to Bookmarks Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Email Share 'TRE ameaça prender quem votar com celular' on Print Friendly Whatsapp

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRERJ) aprovou ontem, em sessão plenária, uma resolução que proíbe o eleitor de usar celular, máquinas fotográficas, filmadoras ou qualquer equipamento ao entrar na cabine de voto.

A medida, segundo o presidente do TRE-RJ, Luiz Zveiter, tem por objetivo impedir que milicianos e traficantes obriguem eleitores a fotografar os votos.

— O tribunal quer dar segurança para eleitores que, eventualmente, possam sofrer pressão desses grupos criminosos. A população tem que entender quem é o ator principal nesse processo eleitoral. O tribunal não quer cercear o direito do cidadão de usar esses aparelhos eletrônicos — esclarece o presidente do TRE.

De acordo com a resolução, os celulares e outros dispositivos multimídia deverão ser entregues aos mesários, antes que o eleitor vá à cabine de votação. Quem descumprir a regra será inicialmente advertido. E, se insistir em desrespeitar a norma, o eleitor pode receber voz de prisão por crime de desobediência, previsto no artigo 347 do Código Eleitoral.

Para combater irregularidades na eleição, o TRE-RJ criou o disque-denúncia eleitoral, há dois meses. O serviço recebeu até a última quarta- feira, 2070 denúncias no estado, sendo que a maior parte delas, cerca de 40%, são relativas a placas irregulares, faixas e adesivos. Em seguida, estão as denúncias sobre o funcionamento de centros sociais, principalmente em São Gonçalo e Duque de Caxias.

No final da tarde de ontem, fiscais do TRE fecharam um centro social na Rua Capitão Teixeira, 301, em Realengo, Zona Oeste do Rio. Segundo o tribunal, no local funcionavam um centro de encaminhamento para atendimentos médico e odontológico e cursos profissionalizantes gratuitos. No local foram apreendidos dois computadores, além de panfletos do vereador e candidato à reeleição Renato Moura (PTC). Procurado, ele não foi encontrado para comentar o assunto.

No início deste mês, o presidente do TRE-RJ pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a presença do Exército durante a campanha. O tribunal, no entanto, informou que o pedido será analisado em plenário em agosto, já que, atualmente, está em recesso.

Fonte: O Globo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!