sábado, 18 de novembro de 2017

AMAERJ | 09 de novembro de 2017 12:48

Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos

Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Delicious Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Digg Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Facebook Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Google+ Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Link-a-Gogo Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on LinkedIn Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Pinterest Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on reddit Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on StumbleUpon Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Twitter Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Add to Bookmarks Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Email Share 'Trabalhos dos Magistrados são destaque do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos' on Print Friendly Whatsapp

Juiz Rodrigo de Castro Ferreira (TJ-GO) recebe prêmio pelo Programa Rede Mulher em Paz | FOTO: Marcelo Regua

O 6º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos consagrou três trabalhos de magistrados que buscam promover Direitos Humanos e Cidadania em diferentes regiões do Brasil. O Programa Rede Mulher em Paz, do juiz Rodrigo de Castro Ferreira, do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), é o grande campeão da edição de 2017.

Leia mais: Cidadãos e entidades se destacam com Práticas Humanísticas

Trabalhos acadêmicos sobre crianças e adolescentes conquistam 6º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos

O titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher está à frente do projeto que visa prevenir, reprimir e erradicar a violência doméstica e familiar contra a mulher. O objetivo  é preservar a integridade física, psíquica, sexual, moral e patrimonial da vítima e conscientizar o ofensor, para transformar a realidade social.

A ação contribui com o fortalecimento da Rede de Proteção da Mulher, atendendo a Meta Nacional 8 de 2017 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e aplicar a Lei Maria da Penha, oferecendo o amparo às vítimas de violência doméstica e familiar, bem como a punição e restauração dos ofensores. Para tanto, o programa privilegia o conceito de “justiça multiportas” para aplicação de métodos alternativos de resolução de conflitos.

“O Programa Rede Mulher em Paz [é] uma ferramenta objetiva e eficaz de melhor abordagem, enfrentamento e solução dos conflitos inerentes à violência doméstica e familiar contra a mulher”, descreve o autor do projeto.

Sul
O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) conquistou o segundo e terceiro lugares do 6º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos. O Programa Justiça, coordenado pela desembargadora Joeci Machado Camargo, e o Projeto de Combate à Evasão Escolar, promovido pelo juiz Carlos Eduardo Mattioli Kockanny se destacaram entre os 14 trabalhos de magistrados.

O projeto da desembargadora leva magistrados, promotores, defensores públicos e advogados voluntários aos bairros mais distantes do centro da cidade e às comarcas do interior com maior demanda reprimida e menor acesso ao Poder Judiciário. Em 2016 foram realizados 45 eventos itinerantes pelos bairros da região metropolitana de Goiânia e pelo interior do Estado de Goiás. 

“A prática leva cidadania à população marginalizada, conferindo-a a efetiva capacidade de acesso ao judiciário e regularização dos instrumentos de sua cidadania”, relata o trabalho da desembargadora Joeci Machado Camargo. 

Já o titular da Vara da Infância e Juventude, busca incrementar a rede de atendimento e proteção às crianças e adolescentes para combater os altos índices de evasão escolar e garantir o direito fundamental à educação escolar. Para isso, procura identificar situações que impeçam a permanência, o acesso e sucesso de jovens nas redes de ensino nos municípios.

Leia também: Magistrados premiam vencedores do 6º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos

Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli reúne trabalhos acadêmicos, humanitários e jurídicos

Reportagens de Época, Globonews, Record, Repórter Brasil e Tribuna do Ceará são finalistas do Prêmio

Veja os vencedores do 6º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos

A desembargadora Joeci Machado Camargo, coordena o Projeto Justiça | FOTO: Marcelo Regua

 

O juiz Carlos Eduardo Mattioli Kockanny trabalha no Combate à Evasão Escolar | FOTO: Marcelo Regua

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!