terça, 23 de julho de 2019

AMAERJ | 21 de maio de 2018 13:59

TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói

Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Delicious Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Digg Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Facebook Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Google+ Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Link-a-Gogo Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on LinkedIn Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Pinterest Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on reddit Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on StumbleUpon Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Twitter Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Add to Bookmarks Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Email Share 'TJ inaugura Núcleo de Soluções de Conflitos em Niterói' on Print Friendly Whatsapp

Juízes e mediadores na inauguração do Centro Judiciário de Soluções de Conflito e Cidadania | Foto: TJ-RJ

O Fórum da Região Oceânica de Niterói, em Pendotiba, tem desde sexta-feira (18) uma central de mediação. Na inauguração, o presidente do Nupemec (Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos), Cesar Cury, afirmou que um conflito bem resolvido entre as partes é um ganho para a sociedade.

“Os métodos pré-processuais não só observam com qualidade as demandas cotidianas da Justiça, como diminuem os custos e aceleram a prestação jurisdicional. É inadmissível que só se tenha ideia de processo como forma de Justiça. O Rio tem estrutura e capacidade para atuar de uma nova forma”, disse.

Leia também: Convênio com Instituto viabiliza pós-graduação em Portugal
AMAERJ pede a TJ mais prazo para avaliar projeto das varas criminais
Brasil tem 110 magistrados sob proteção

Cury destacou casos de sucesso realizados a partir da mediação, como a recuperação judicial da Oi, ao avaliar os dispositivos que evitam a judicialização dos casos. De acordo com o magistrado, o pioneirismo do Judiciário fluminense pode significar uma mudança na sociedade.

Desembargador Cesar Cury | Foto: TJ-RJ

O Centro Judiciário de Soluções de Conflito e Cidadania (Cejusc) funciona no segundo andar do Fórum, que fica na Estrada Caetano Monteiro. O Cejusc tem sete mediadores capacitados. Algumas Varas de Família já começaram a enviar e solucionar processos por meio da mediação e da conciliação.

Coordenadora do Cejusc recém-inaugurado, a juíza Cássia Arueira Klausner exaltou a oportunidade de oferecer novas possibilidades para que os moradores da região resolvam seus conflitos.

“As novas instalações foram criadas para atender melhor a população e criar um espaço para o diálogo. A mediação não é apenas uma alternativa, mas um método eficaz de solução de conflitos com o objetivo de desafogar o Poder Judiciário. A mediação dá às partes o poder de gerir e solucionar o próprio caso.”

Cesar Cury e Claudio de Mello Tavares | Foto: TJ-RJ

O corregedor-geral de Justiça, Claudio de Mello Tavares, destacou o caráter de auxílio e compreensão dos métodos pré-processuais. “A mediação e a conciliação são métodos para resolver os litígios de forma célere, trocando o lado adversarial pelo colaborativo, que evita o desgaste emocional das partes. Essas ferramentas representam o sonho de um Judiciário melhor, com a redução de gastos e alta produtividade”, afirmou.

O Centro é uma unidade que promove sessões e audiências de conciliação e mediação, com o objetivo de buscar um entendimento para dar fim aos conflitos entre as partes. O Cejusc abrange três setores: pré-processual, processual e cidadania.

O Cejusc conta com sete mediadores | Foto: TJ-RJ

Fonte: TJ-RJ

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!