quinta, 19 de setembro de 2019

AMAERJ | 15 de julho de 2019 10:59

Revista FÓRUM: Quebec é a França americana

Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Delicious Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Digg Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Facebook Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Google+ Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Link-a-Gogo Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on LinkedIn Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Pinterest Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on reddit Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on StumbleUpon Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Twitter Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Add to Bookmarks Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Email Share 'Revista FÓRUM: Quebec é a França americana' on Print Friendly Whatsapp
Castelo Frontenac e Terraço Dufferin, paisagens de Quebec

Cidade no Canadá é a mais francesa das Américas

Por SERGIO TORRES

Parece que você está passeando na França. As pessoas falam francês, as placas na rua tem grafia francesa, os pratos nos cardápios não estão escritos na língua inglesa, como seria esperado. Afinal, estamos falando de uma cidade no Canadá, país da América do Norte colonizado pela Inglaterra desde o século 18. A encantadora Quebec é a França nas Américas.

O vínculo da região de Quebec com a França remonta a 1554, quando o explorador e aventureiro Jacques Cartier desembarcou e tomou posse das terras em torno do Golfo de São Lourenço, fundando a região que veio a ser conhecida como Nova França.

Leia também: NAÏF, a arte intuitiva que encanta e surpreende
Jogos Comemorativos festejam o 70º aniversário da AMB
Entrevista com o professor Bryant Garth

A colonização francesa veio a ser interrompida 200 anos depois, quando França e Inglaterra se enfrentaram em uma guerra sangrenta. Os confrontos terminaram em 1763, quando as então maiores potências da época assinaram o Tratado de Paris, pelo qual os derrotados franceses passaram ao inimigo o controle das terras canadenses.

Passados 256 anos, esperava-se que o passado francês do Canadá estivesse esquecido. Não é o que acontece. A cidade de Quebec é a capital da província homônima. Os 530 mil habitantes se expressam na língua francesa. Eles têm orgulho da origem e fazem questão de mostrar aos turistas que o lugar é um enclave da França em solo americano.

O visitante precisa de três dias para conhecer bem a cidade. Como Salvador da Bahia, Quebec tem uma cidade baixa e outra alta. Nas duas, são muitas as atrações. Mas é na Cidade Velha, na parte de cima, que se concentram os locais de maior interesse turístico.

O Castelo de Frontenac é uma espécie de cartão-postal de Quebec. Maravilhosa construção em tons de verde, o castelo é um hotel de luxo, suntuoso, espetacular. Suas dependências espantam pelo conforto extremo e pelo primor dos acabamentos, com veludos, candelabros, vitrais, luminárias, mobiliários em madeiras nobres. Inaugurado em 1893 para sediar o governo local, o Chateau Frontenac tem 650 quartos.

Ao lado do castelo fica o Terraço Dufferin, mirante que proporciona a mais bela paisagem do extenso Rio São Lourenço e da Cidade Baixa. É um calçadão de madeira impecável, repleto de turistas. No verão, há a apresentação de artistas os mais variados. No inverno, o vento é intenso e constante. A temperatura ali pode chegar a 30graus negativos. Portanto, agasalhe-se muito bem.

A Cidade Velha (ou Centro Histórico) é muito bem conservada. Pelas ruelas, há casas de quase três séculos em ótimo estado. Um dos passeios mais legais é à Cidadela, fortaleza construída para proteger Québec dos ataques inimigos. As muralhas da Cidadela ainda cercam a cidade.

Quebec é a única cidade amuralhada no continente. Margeando a Cidadela há o Caminho dos Governadores, trilha agradável que liga as Planícies de Abraham, local das batalhas do século 18, ao Terraço Dufferin. A trilha acompanha a sinuosidade do Rio São Lourenço.

A 45 minutos de ônibus do bairro alto ficam as Cataratas de Montmorency, mais um passeio turístico obrigatório na região de Quebec. A queda d’água mede 83 metros de altura, mais alta até que as afamados Cataratas do Niágara, na fronteira do Canadá com os Estados Unidos.

Montmorency é um parque público de visitação gratuita. Está a 10 km de Québec. O turista pode cruzar a ponte de madeira exclusiva para pedestres, que passa em cima da cachoeira. Há ainda um teleférico entre a margem do rio São Lourenço e uma construção próxima às cachoeiras. O passageiro tem uma vista rara de Montmorency, de frente para a queda d’água.

No inverno, a cachoeira congela. Na parte de baixo, turistas passeiam sobre o rio congelado. São imagens incríveis, perpetuados pelos turistas em fotografias e filmagens.

A 250 km está Montreal, talvez a mais famosa cidade do Canadá. Também colonizada inicialmente pela França, Montreal é mais cosmopolita e industrializada que Quebec. Nela, a língua inglesa faz parte do dia a dia. As atrações de Montreal também são muitas: a Cidade Velha, a grandiosa Catedral de Notre-Dame (considerada por especialistas a mais linda igreja da América do Norte) o Monte Royal, a Rua Saint Paul, a beira-rio, o porto com shoppings, cinemas e monumentos históricos.

Um dos destaques de Montreal é a cidade subterrânea, estratégia canadense contra o inverno rigorosíssimo. Por baixo de Montreal existem bairros com lojas, escritórios, restaurantes, bares, departamentos governamentais. Os acessos são geralmente pelas estações do metrô. Vale a pena passear nos subterrâneos modernos de Montreal.

Leia aqui a revista completa.

Rua secular em Petit Champlain, bairro preservado na Cidade Baixa

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!