quarta, 18 de setembro de 2019

AMAERJ | 19 de junho de 2019 13:51

Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV

Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Delicious Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Digg Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Facebook Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Google+ Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Link-a-Gogo Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on LinkedIn Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Pinterest Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on reddit Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on StumbleUpon Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Twitter Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Add to Bookmarks Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Email Share 'Reportagem com Renata Gil é exibida em programas da Record TV' on Print Friendly Whatsapp
Presidente da AMAERJ em entrevista à Record TV | Foto: Reprodução/ Record TV

A entrevista da presidente da AMAERJ, Renata Gil, à Record TV foi exibida em três programas e divulgada no site da emissora nesta quarta-feira (19). A reportagem exclusiva, que trata de conversas entre milicianos do Rio, interceptadas pela polícia, foi ao ar na terça-feira (18) nos programas “Balanço Geral RJ” e “Cidade Alerta” e nesta quarta no “RJ no Ar”.

Na entrevista, Renata Gil afirmou que “vários magistrados, apesar das ameaças frequentes, continuam levando seu ofício à frente por conta do dever que temos com a sociedade de entregar Justiça para as pessoas”. A presidente disse que não há envolvimento de magistrado com o grupo criminoso e explicou que a Central de Assessoramento Criminal do TJ-RJ, que existe desde 2009, propicia imparcialidade e segurança.

Ela também afirmou que, para um combate mais eficiente à milícias, é necessário aperfeiçoar leis e ações preventivas do Estado. “Os juízes são aplicadores da lei que nós temos. Hoje vemos que esse aparato legal é insuficiente para inibir ações. Mas, mais importante que a ação do Judiciário, é a ação preventiva do Estado, com seu sistema de segurança funcionando de forma saudável, com a Polícia Militar apurando os crimes dos seus policiais que desviam de conduta”, disse.

Veja abaixo a reportagem na íntegra.

Leia também: Renata Gil diz à Record que, mesmo ameaçados, juízes cumprem ‘dever’
Após sabatina, Senado aprova nomeações para o CNJ
Após ação associativa, Senado adia votação do abuso de autoridade

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!