sábado, 23 de março de 2019

AMAERJ | 19 de dezembro de 2018 14:44

Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil

Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Delicious Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Digg Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Facebook Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Google+ Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Link-a-Gogo Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on LinkedIn Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Pinterest Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on reddit Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on StumbleUpon Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Twitter Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Add to Bookmarks Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Email Share 'Renata Gil diz a ‘O Dia’ que valorizar magistratura é fundamental ao Brasil' on Print Friendly Whatsapp

Em entrevista publicada nesta quarta-feira (19) na coluna “Justiça & Cidadania”, no site do jornal “O Dia”, a presidente da AMAERJ, Renata Gil, disse ser fundamental valorizar a magistratura. “Todos os servidores têm o adicional por tempo de serviço, menos os juízes. O juiz não é super-homem. Toda a proteção, como a inamovibilidade (garantia de não ser transferido) e a blindagem constitucional remuneratória que prevê reajuste anual, é em razão do cargo”, afirmou.

Renata Gil também falou sobre o auxílio-moradia, regulamentado nesta terça-feira (18) pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que restringiu o recebimento do benefício.

“O auxílio-moradia acabou para a magistratura, mas continua para bombeiros, militares, Procuradoria e outros. Com as perdas, a carreira deixa de ser atrativa para novas gerações e isso é motivo de preocupação das entidades”, disse.

Leia também: Plantão do TJ-RJ no recesso forense começa nesta quinta-feira
Ao Estadão e à rádio CBN, Renata Gil defende reajuste anual e ATS
Auxílio-moradia é regulamentado pelo CNJ

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!