sábado, 24 de agosto de 2019

AMAERJ | 05 de março de 2019 15:39

Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro

Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Delicious Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Digg Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Facebook Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Google+ Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Link-a-Gogo Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on LinkedIn Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Pinterest Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on reddit Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on StumbleUpon Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Twitter Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Add to Bookmarks Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Email Share 'Pesquisa atesta excesso de trabalho de juízes, diz ministro' on Print Friendly Whatsapp
Luis Felipe Salomão | Foto: Dida Sampaio/Estadão

A pesquisa da AMB “Quem somos. A magistratura que queremos” foi tema de entrevista com o ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Luis Felipe Salomão, publicada nesta terça-feira (5) no jornal “O Estado de S. Paulo”. Ele falou sobre os resultados do estudo e as demandas dos juízes brasileiros.

“A pesquisa constata que há excesso de trabalho. E que eles querem uma melhor distribuição de recursos dentro do Judiciário. Os recursos têm de ser melhor divididos entre a primeira e a segunda instância. Há uma reclamação constante para que o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) atue, equilibrando essa distribuição”, afirmou.

Leia também: Reforma da Previdência é tema do Podcast da AMAERJ
Aparelhos quebrados no IML impedem paisagista de fazer exame
Morre filho do desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho

Salomão coordenou a pesquisa, com a presidente da AMAERJ e vice-presidente Institucional da AMB, Renata Gil.

“Em 1988 o Brasil tinha 350 mil novos processos por ano e hoje tem 30 milhões”, disse o ministro do STJ. “São 30 milhões de novos processos por ano. Ou nós agora traçamos políticas públicas efetivas para o Judiciário, ou vamos cair num atoleiro de onde o Judiciário não se levanta mais.”

Leia aqui a íntegra da entrevista no ‘Estadão’.

Veja aqui o site da pesquisa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!