domingo, 20 de outubro de 2019

AMAERJ | 18 de julho de 2019 23:41

Nota de esclarecimento

Share 'Nota de esclarecimento' on Delicious Share 'Nota de esclarecimento' on Digg Share 'Nota de esclarecimento' on Facebook Share 'Nota de esclarecimento' on Google+ Share 'Nota de esclarecimento' on Link-a-Gogo Share 'Nota de esclarecimento' on LinkedIn Share 'Nota de esclarecimento' on Pinterest Share 'Nota de esclarecimento' on reddit Share 'Nota de esclarecimento' on StumbleUpon Share 'Nota de esclarecimento' on Twitter Share 'Nota de esclarecimento' on Add to Bookmarks Share 'Nota de esclarecimento' on Email Share 'Nota de esclarecimento' on Print Friendly Whatsapp

A OAB-RJ divulgou a entrega de relação de serventias com morosidade, no último dia 16, à Corregedoria Geral da Justiça do Rio de Janeiro.

A AMAERJ esclarece que a Ordem dos Advogados não possui competência constitucional fiscalizadora, que já é exercida de forma ampla pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio de suas rotineiras inspeções nos tribunais do país, bem como pelas corregedorias locais.

Note-se que os dados estatísticos de magistrados e servidores são analisados mensalmente pela pioneira e eficiente COMAQ (Comissão de Políticas Institucionais para Eficiência Operacional e Qualidade dos Serviços Judiciais), do TJ-RJ. Todas as serventias que possuem necessidades de ajustes contam com a atuação de grupos de apoio cartorário e de auxílios a magistrados.

Por fim, há de ser registrado que o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro foi classificado pelo nono ano consecutivo o mais produtivo do país, por ter magistrados comprometidos e proativos, que fazem frente ao grande volume de ações. O Estado tem mais de cem mil advogados inscritos em seu órgão de classe e menos de mil magistrados.

O advogado é indispensável à administração da Justiça, mas o juiz é pilar do Estado de Direito.

A AMAERJ não admitirá quaisquer violações às prerrogativas da magistratura e às regras constitucionais. É fundamental que os juízes fluminenses continuem respeitados por sua importância para a sociedade e para o Brasil.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!