quarta, 15 de agosto de 2018

AMAERJ | 21 de julho de 2018 22:18

Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana

Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Delicious Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Digg Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Facebook Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Google+ Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Link-a-Gogo Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on LinkedIn Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Pinterest Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on reddit Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on StumbleUpon Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Twitter Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Add to Bookmarks Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Email Share 'Nota de apoio da AMAERJ ao juiz Flávio Itabaiana' on Print Friendly Whatsapp

A AMAERJ manifesta seu integral apoio ao juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, que condenou, terça-feira (17), 23 ativistas envolvidos nos protestos de 2013 e 2014 no Rio por formação de quadrilha e corrupção de menores. A decisão do magistrado foi tomada no pleno exercício de sua independência funcional e de acordo com sua consciência e as provas apresentadas no processo.

Nesta semana, 13 dos condenados assinaram uma nota pública na internet em que atacam a decisão do titular da 27ª Vara Criminal do Rio e na qual afirmam que ele “sempre será lembrado como aquele que perseguiu de modo implacável a juventude de junho de 2013”.

A AMAERJ também considera inaceitáveis as insinuações despropositadas de que o juiz teria sido influenciado pelo ex-governador Sérgio Cabral, a quem não conhece pessoalmente. O processo ao qual se referem foi distribuído para a 27ª Vara Criminal por sorteio, como todos os demais no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

A AMAERJ repudia as acusações ao magistrado, que agiu conforme a lei, de modo isento, em um caso de repercussão nacional. Os eventos de 2013 tiveram grandes proporções em todo o País e, inclusive, resultaram na morte de um cinegrafista no Rio de Janeiro. Discordâncias sobre decisões da Justiça devem ser manifestadas por meio de recurso judicial.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mauricio Caldas Lopes 2018-07-22 09:41:49

A tal "juventude de 2.013" não pode compreender também -- e principalmente, os black blockers que só vinham as ruas para depredarem o património público e privado, espancarem pessoas e espalharem a cultura do medo público... São criminosos comuns que não podem se subtrair às respectivas condenações a pretexto de que apenas se manifestavam dentro do largo espectro político que, mesmo esse, não se compadece com tal tipo de conduta, nitidamente criminosa. Andou bem o denodado juiz Flávio Itabaiana.

O comentário não representa a opinião da AMAERJ; a responsabilidade é do autor da mensagem.