sexta, 18 de janeiro de 2019

AMAERJ | 02 de janeiro de 2019 18:08

Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ

Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Delicious Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Digg Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Facebook Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Google+ Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Link-a-Gogo Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on LinkedIn Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Pinterest Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on reddit Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on StumbleUpon Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Twitter Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Add to Bookmarks Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Email Share 'Ministro indica os 30 mais importantes julgamentos do STJ' on Print Friendly Whatsapp

Ministro Luis Felipe Salomão | Foto: Gustavo Lima/STJ

Conhecido como o “Tribunal da Cidadania”, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) foi criado pela Constituição Federal de 1988 e instalado no ano seguinte. O 30º aniversário da Corte é celebrado pelo ministro Luis Felipe Salomão, em artigo publicado no site Jota no último dia 2. Em “Os 30 anos do STJ – Principais precedentes que marcaram sua evolução”, Salomão faz uma análise histórica e elege os grandes processos julgados a cada ano no tribunal.

“Com efeito, uma das melhores formas de revelar a história do Tribunal da Cidadania – que completa 30 anos – é revisitando o passado e procedendo a análise dos principais precedentes que marcaram sua evolução. A difícil tarefa foi sistematizar e eleger um julgado de cada ano, desde sua criação, como aquele que teve maior repercussão”, ressaltou Salomão.

Clique aqui para ler a íntegra do artigo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!