terça, 23 de julho de 2019

AMAERJ | 17 de março de 2011 15:32

Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG

Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Delicious Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Digg Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Facebook Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Google+ Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Link-a-Gogo Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on LinkedIn Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Pinterest Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on reddit Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on StumbleUpon Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Twitter Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Add to Bookmarks Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Email Share 'Juízes podem consultar banco de dados de clientes da CEG' on Print Friendly Whatsapp

O Tribunal de Justiça do Rio e a Companhia Distribuidora de Gás – CEG renovaram ontem, dia 16, o convênio de cooperação que permite aos juízes acessar, via internet, os dados cadastrais de clientes da empresa. O acordo foi assinado pelo presidente do TJ-RJ, desembargador Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, e pelo presidente da CEG, Bruno Armbrust.

As informações obtidas no banco de dados da concessionária possibilitam ao Judiciário fluminense a localização de partes, testemunhas ou pessoas vinculadas a ações que tramitam nos diversos juízos. O sistema será utilizado pela Comarca da Capital e seus fóruns regionais, pelas Comarcas de Nova Iguaçu, Belford Roxo, Duque de Caxias, São João de Meriti, Niterói e São Gonçalo, e também pelos gabinetes da Presidência do TJ, da 3ª Vice-Presidência e da Corregedoria Geral de Justiça.

Segundo o desembargador Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, a renovação do acordo com a CEG elimina a necessidade de os juízos abrangidos expedirem milhares de ofícios para obterem os dados de que necessitam. Por outro lado, a medida também libera a empresa de fazer as pesquisas necessárias para responder as solicitações do Judiciário.

“Em última palavra, a facilidade em se acessar o banco de dados da empresa torna mais ágil o processo de informação, acelerando o término das ações”, destacou o presidente do Tribunal.

Participaram da assinatura do convênio o juiz auxiliar da Presidência do TJ, José Roberto Portugal Compasso; o diretor-geral da CEG, Antoni Almela Casanova; e a diretora jurídica da empresa, Kátia Valverde Junqueira.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!