sexta, 23 de agosto de 2019

AMAERJ | 13 de agosto de 2019 17:29

Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta

Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Delicious Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Digg Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Facebook Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Google+ Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Link-a-Gogo Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on LinkedIn Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Pinterest Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on reddit Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on StumbleUpon Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Twitter Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Add to Bookmarks Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Email Share 'Juizado na Barra da Tijuca cria espaço para o Projeto Violeta' on Print Friendly Whatsapp
Fórum da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio | Foto: Reprodução

O Projeto Violeta ganhará mais um local de atuação no município do Rio. A partir das 11h desta sexta-feira (16), o projeto funcionará no 7º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Hoje, dez juizados da cidade e da Região Metropolitana do Rio são contemplados pelo Violeta.

O juizado, cuja titular é a juíza Cintia Souto Machado de Andrade Guedes, fica no Fórum Regional da Barra da Tijuca (Av. Luís Carlos Prestes, s/n, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro).

Leia também: Justiça do Rio altera início do cumprimento da pena de Sérgio Cabral
Luiz Fux participa de noite de autógrafos no TJ-RJ
Comitê de Atenção Prioritária ao 1ª Grau tem novos integrantes

A iniciativa, criada em julho de 2013, foi desenvolvida pela juíza Adriana Ramos de Mello (I Juizado de Violência Doméstica e Familiar do Rio de Janeiro). Desde o início, o projeto vencedor do 11º Prêmio Innovare (2014) tem como parceiros a DP-RJ (Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro), o MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) e a Polícia Civil.

O objetivo é garantir a segurança e a proteção máxima das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, acelerando o acesso à Justiça a quem está com a integridade física e até a vida em risco. Todo o processo deve ser concluído em cerca de quatro horas.

Atualmente, o Projeto Violeta está em dois juizados na Capital, um nas regionais de Campo Grande, Jacarepaguá e Bangu, além de um em Nova Iguaçu-Mesquita, São João de Meriti, Saquarema, Belford Roxo e Petrópolis (inaugurado em março deste ano). Veja abaixo o convite para a inauguração.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!