sábado, 24 de agosto de 2019

AMAERJ | 08 de junho de 2018 15:07

Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’

Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Delicious Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Digg Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Facebook Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Google+ Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Link-a-Gogo Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on LinkedIn Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Pinterest Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on reddit Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on StumbleUpon Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Twitter Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Add to Bookmarks Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Email Share 'Fux afirma que Justiça vai remover imediatamente as ‘fake news’' on Print Friendly Whatsapp

Presidente do TSE diz não ver necessidade de uma legislação específica para “fake news” | Reprodução/GloboNews

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, afirmou nesta sexta-feira (8), em São Paulo, que a Justiça irá “remover imediatamente” notícias falsas que se espalharem pelo País e que forem abusivas. “No Brasil, uma notícia falsa derrete uma candidatura em segundos. Temos que atuar preventivamente na inteligência, na busca de dados, uma área tênue, mas que a atuação brasileira tem sido muito eficiente”, disse.

Segundo Fux, ao contrário dos Estados Unidos, onde notícias falsas são monitoradas e “reprimidas a posteriori”, mas não retiradas do ar preventivamente, no Brasil a retirada de notícias falsas deverá ser feita previamente.

Leia também: TRE, AMAERJ e juízes tratam da organização das eleições em Niterói
João Otávio de Noronha é eleito presidente do STJ
AMB encerra pesquisa sobre magistratura em 30 de junho

Na quinta-feira (7), de maneira inédita, o TSE determinou a retirada do ar de notícias apontadas como falsas pela pré-candidata à Presidência pela Rede, Marina Silva. Segundo o TSE, trata-se da primeira decisão no tribunal para combater as chamadas “fake news” envolvendo pré-candidatos na disputa de 2018.

“Diante de uso abusivo, sabidamente inverídico, da notícia sabidamente inverídica, que cause dano irreparável à candidatura, por exemplo, vamos remover imediatamente a notícia”, afirmou Fux, durante o evento “Fórum Brasil Futuro”, realizado em um hotel na capital paulista.

O presidente do TSE diz não ver necessidade de uma legislação específica que penalize “fake news”.

“Os delitos digitais, muito embora o direito brasileiro prevê que não ‘há crime sem lei anterior que o defina’, mas a verdade os crimes digitais, por mal ou bem, acabam caindo numa figura (jurídica). Por exemplo, fake news. Ah, não temos uma legislação de fake news. Não precisa. Porque a lei eleitoral prevê como crime eleitoral a propaganda abusiva que visa denegrir a candidatura alheia, o uso indevido dos meios de comunicação, entre outros a internet. É uma ilusão imaginar que hoje a criação de novos delitos escapam à apreciação do judiciário”, defendeu o ministro.

“Mesmo nos delitos digitais, o mais importante é a atuação da área de inteligência. E, na área de inteligência, ela deve ser feita tão perfeita porque nós temos uma linha tênue entre o controle do conteúdo e a liberdade de expressão”, salientou Fux.

Fonte: G1

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!