quarta, 17 de julho de 2019

AMAERJ | 15 de junho de 2019 13:28

Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero

Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Delicious Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Digg Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Facebook Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Google+ Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Link-a-Gogo Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on LinkedIn Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Pinterest Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on reddit Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on StumbleUpon Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Twitter Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Add to Bookmarks Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Email Share 'Comissão AMB Mulheres discute políticas para a equidade de gênero' on Print Friendly Whatsapp
Representantes das regiões do país e presidente da AMB em reunião | Foto: Reprodução/ AMB

Nesta sexta-feira (14), São Paulo foi o local da primeira reunião oficial da Comissão AMB Mulheres. O grupo, que tem representantes de diversas regiões do país, debateu políticas institucionais relacionadas à equidade de gênero e projetos que devem servir de parâmetro para as ações futuras da associação em relação ao tema. O presidente da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros), Jayme de Oliveira, participou do encontro.

A Comissão se chamava, anteriormente, Secretaria de Gênero de Violência Doméstica e Familiar da AMB. Segundo Maria Domitila Manssur, representante nacional da pasta, o nome – sugerido anteriormente pelo presidente – foi modificado para facilitar a compreensão sobre a essência do trabalho desenvolvido.

Para Ariel Dias, representante da Região Sul, “AMB Mulheres é um nome que facilita a transmissão da mensagem da proposta da Comissão que é amplo. Não tratamos só da violência contra mulher, mas de todas as questões que as envolve”, salientou.

Leia também: Juízes fluminenses avaliam aprendizado em curso sobre a Máfia
Relator apresenta parecer sobre projeto do abuso de autoridade
Podcast destaca seminário com ministros, juízes e especialistas

Também foram apresentadas na reunião ações relacionadas ao desenvolvimento de núcleo de estudos na ENM (Escola Nacional da Magistratura), da AMB, especialmente para discussões de questões de gênero; participação de especialistas externos nas reuniões da comissão; organização de cinco linhas de comprometimento da AMB com as diretrizes desenvolvidas pela ONU Mulheres; e o projeto pedagógico do “I Seminário – a Mulher Magistrada: desafios profissionais e sociais”, a ser realizado, por meio da ENM, em setembro deste ano, como parte das comemorações dos 70 anos da AMB.

“O objetivo é fomentar o debate sobre questões como a equidade de gênero no Poder Judiciário e as trajetórias e percepções das relações de gênero no exercício da Magistratura”, explicou Maria Domitila.

A Região Sudeste foi representada pela juíza do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) Adriana Ramos de Mello, e por Márcia Faria Mathey Loureiro. Ana Cristina de Freitas Mota representou a Região Nordeste; Jamilson Haddad Campos e Luciana Lopes Rocha, a Centro-Oeste; e Shirlei de Oliveira Hage, a Norte.

Fonte: AMB

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!