terça, 17 de setembro de 2019

AMAERJ | 11 de julho de 2019 11:23

CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois

Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Delicious Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Digg Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Facebook Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Google+ Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Link-a-Gogo Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on LinkedIn Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Pinterest Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on reddit Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on StumbleUpon Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Twitter Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Add to Bookmarks Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Email Share 'CCJ do Senado aprova criminalização de caixa dois' on Print Friendly Whatsapp

*ConJur

Sessão da CCJ | Foto: Pedro França/Agência Senado

Por 17 votos a 2, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou, nesta quarta-feira (10/7), o projeto que criminaliza o caixa dois e estipula pena de até cinco anos de prisão, podendo chegar a oito anos e quatro meses. 

Como foi aprovado em caráter terminativo, não precisará passar pelo plenário e poderá seguir para análise da Câmara. Após a aprovação do texto pelos deputados, a proposta poderá ir à sanção presidencial. 

Leia também: Cursos para magistrados na EMERJ batem recorde de participação
Presidentes tratam de Reforma e resolução sobre redes sociais
Senado aprova indicação do ministro Emmanoel Pereira ao CNJ

A proposta faz parte do “pacote anticrime” elaborado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro. O projeto define como crime “arrecadar, receber, manter, movimentar ou utilizar” recursos e bens que não tenham sido declarados na prestação de contas ou declarados de forma errada.

Segundo a proposta, também fica proibido “doar, contribuir ou fornecer” recursos nessa condição. A pena sugerida é de dois a cinco anos de prisão, podendo ser aumentada de um a dois terços se os recursos utilizados forem provenientes de crime ou se o autor do crime for servidor público.

No caso do caixa dois, único crime que foi enviado ao Congresso separadamente, Moro atendeu a pedidos dos próprios parlamentares e mudou a estratégia para aprovação das propostas. De acordo com ele, deputados e senadores apontaram que esse é um crime grave, mas não tanto quanto outros tratados no pacote de medidas.

Clique aqui para ler o PL.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a comentar!